Bacharelado e Licenciatura: Quais são as diferenças?

Bacharelado e Licenciatura: Quais são as diferenças?

Após escolher um curso de graduação, as decisões acadêmicas que o aluno precisa tomar não acabaram ainda. Ele vai precisar de um excelente domínio de suas capacidades para determinar o que quer fazer com o conhecimento que vai adquirir neste curso. Alguns deles permitem que o aluno torne-se professor, por exemplo. A outra opção, presente em grande parte dos cursos, é voltada para o mercado de trabalho em diversas áreas. Se o seu curso permitir, o aluno pode optar entre obter uma licenciatura ou um bacharelado.

Grande parte dos cursos e universidades oferece esta possibilidade aos alunos. Trata-se de uma questão que deve ser pesquisada antes de qualquer decisão ser tomada. As opções clássicas são as de disciplinas escolares, como História, Geografia, Biologia e Letras. Quem quer ser professor de História deve buscar um curso de História e obter licenciatura. Assim, não só vai adquirir o conhecimento necessário – o mesmo obtido por alunos cujo objetivo pode ser o de exercer o trabalho de historiadores – e, assim, lecionar História. Vale destacar que é possível o aluno fazer as duas coisas: obter bacharelado e licenciatura.

Licenciatura

A licenciatura permite ao aluno se tornar professor dos assuntos estudados e abordados no curso do qual está se graduando. Além do conteúdo bruto, é ensinado tudo que diz respeito à didática de ensino, formas de organização de aulas, técnicas de relacionamento com os alunos, entre outros. O ideal é que o aluno saia da universidade com a capacidade de dar aulas. Apenas uma graduação convencional não capacita um aluno para dar aulas, e nenhum estabelecimento de ensino sério iria contratar um professor não licenciado.

Bacharelado

O bacharelado proporciona ao aluno a capacidade de entrar no mercado de trabalho de forma competitiva e pronto para desempenhar as tarefas que são esperadas de alguém de sua área e função. O aluno não é capacitado para ser professor e não teria condições de transmitir o aprendizado para um grupo de alunos como alguém que fez licenciatura. Seu leque de empregos em potencial irá dizer respeito ao exercício da função relacionada ao curso que fez, e não ao ensino desta capacidade. Mesmo cursos superiores especializados contratam graduados com licenciatura em vez de apenas bacharéis. Um médico com bacharelado em Medicina somente poderá exercer a função de médico, e não de professor de Medicina.

O que fazer?

Como em qualquer questão relacionada à carreira profissional, o ideal é que o aluno tenha consciência de suas capacidades e inclinações para tomar uma decisão. Nem todo aluno, por mais interessado que seja no assunto ou área que esteja estudando, tem aptidão para ser professor. Igualitariamente, nem todo aluno com talento para ser professor se daria bem no mercado de trabalho convencional. E, claro, o aluno deve escolher cuidadosamente a sua área, também. Não basta ter aptidão para professor e acabar lecionando em uma área que não lhe agrada.

Em todos os casos, trata-se de uma questão de reflexão, discussão e autoconhecimento. Nestas situações, o ideal é procurar um orientador vocacional para determinar exatamente qual caminho quer seguir em sua vida profissional.

Comentários

comentários

Veja Também:close