Colágeno: Benefícios e Alimentos ricos em Colágeno

Colágeno: Benefícios e Alimentos ricos em Colágeno

Não é de hoje que homens e mulheres buscam tratamentos alternativos para a pele. Produtos que retardem, de certa forma, o envelhecimento e ajudam a manter uma pele bonita e saudável. E o colágeno, uma poderosa proteína, surge como uma promessa real.

Como o colágeno age?

O colágeno age na sustentação da pele. Ou seja, auxilia na redução do efeito sanfona e suas tristes consequências, como estrias e rugas. Para aqueles que praticam exercícios físicos o colágeno ainda auxilia no fortalecimento dos músculos sem sofrimentos.

Além disso o colágeno traz consigo efeitos regenerativos nos ossos e articulações. Suas propriedades naturais ajudam no combate a queda de cabelo, retardam o envelhecimento, fortalecem unhas e cabelos e ainda auxilia no ótimo funcionamento do sistema linfático.

Pessoas com atividades físicas mais contínuas são melhores beneficiadas com os efeitos do colágeno. É indicado para aqueles que já passaram dos 30. Todavia não tem contraindicação para os que tenham menos idade.

Alimentos ricos em colágeno

Os alimentos ricos em colágeno são facilmente encontrados em supermercados e padarias. No iogurte desnatado, por exemplo, a concentração de colágeno é a necessária para o dia-a-dia.

Os queijos também trazem boa concentração de colágeno, assim como ovos e atum. Outra delicia que é facilmente encontrada nos supermercados e que possui ótima concentração de colágeno é o peito de peru, seja tradicional ou diet.

Algumas frutas também possuem boa concentração de colágeno, tais como o kiwi, caju, acerola, goiaba, morango e banana. Outros alimentos ricos em colágeno e que podemos citar com boas propriedades ativas são: pepino, nabo, feijão, frango, peixe, trigo, avelã, cevada, aveia, gelatinas, aspargos etc.

Curiosidades e informações adicionais

Nosso corpo é constituído por 30% de colágeno. E a produção natural do nosso organismo começa a diminuir por volta dos 25 anos de idade. Nas mulheres, com mais de 50 anos, essa produção chega a diminuir em até 70%, o que favorece o envelhecimento.

O colágeno também é indicado para pessoas que possuem alta concentração de estresse, aquelas que fazem uso de antidepressivos, fumantes e alcoólatras. Esse tipo de público é mais suscetível a diminuição da proteína já aos 21 anos.

Pessoas que sofrem com quedas de cabelo constante também encontram boa diminuição dessa perda após o uso contínuo do colágeno.

Os resultados com o uso do colágeno não aparecem logo nas primeiras semanas. Seu consumo precisa ser diário, sem interrupções. E as primeiras observações de seus benefícios ocorrem depois do 3º mês.

Há uma vasta quantidade de marcas e empresas que colocam no mercado suplementos a base de colágeno. Mas nem todas se preocupam com a qualidade e certificação de seus produtos.

A dica é que você, antes de comprar a proteína, pesquise sobre a marca escolhida ou a disposição no estabelecimento próximo a sua residência. Veja a quanto tempo ela está no mercado e busque informações de pessoas que já fizeram uso dela.

E, mesmo se tratando de um produto natural e que nosso organismo necessita, a consulta com um médico antes de começar a ingerir o colágeno não pode ser dispensada.

Comentários

comentários

Veja Também:close